Faxina no Guarda-Roupas e na Vida! (Pt. 1)

7 fev

Sabe aqueles GIGA posts que têm volta e meia aqui no Peixe cheio de dicas valiosas pra guardar pra sempre? Numa conversinha de twitter com o Júnior Mendes sobre arrumações no guarda-roupas e fizemos um trato: fazer a limpa no armário, ser bem honesto e organizar um encontrinho pra trocar as peças que a gente aposentou. Tomei coragem, liguei o desapego e posso falar pra vocês que organizei mais do que o guarda-roupas, também a vida, e ó, não é por nada não, mas se têm algo que sei fazer bem é manter tudo pela órdi, e claro, vou ensinar em lições fáceis pra vocês em dois posts:

01) Guarda-roupa não serve só pra ‘guardar roupa’:

A gente têm que ter uma relação de amor com o nosso armário. Acho que essa foto da Carrie visitando seu antigo closet é a perfeita ilustração para o que eu quero dizer com isso. Tá que nosso armário pode não estar recheado de Manolos Blahniks mas lá dentro têm peça que faz parte da nossa vida, que nos vestiram em momentos importantes e que a gente não troca por Manolo nenhum! E é por ter tanta peça importante pra gente, é que devemos conhecer (e usar!) cada peça lá de dentro e pra isso é preciso de organização.

02) Organizar é mais do que colocar tudo no lugar certo:

Tá certo que pra ter um guarda-roupas perfeito é preciso saber o que precisa dobrar e o que precisa pendurar. Mas, organizar significa bem mais que isso. É saber a disposição das roupas que a gente têm, pra facilitar as coordenações, e assim as compras futuras ficarão bem mais certeiras e, acredite, até a vida flui melhor!

03) Construindo ‘O’ guarda-roupas:

Uma coisa que aprendi com as meninas do Oficina de Estilo: “A gente constrói nosso guarda-roupa a partir de duas atividades/necessidades que se repetem de tempos em tempos: compras e limpezas”. Traduzindo, conhecendo bem as nossas necessidades fica mais fácil saber o que precisamos comprar e tudo aquilo que precisamos descartar. Saber a hora certa vêm de um exercíciozinho fácil de autoconhecimento. Assim, têm que saber como é o nosso estilo de vida:

  • Se passa muito tempo fora de casa por conta de trabalho/faculdade têm que investir em roupa pra esse tipo de ocasião, abrir espaço no armário para as que permanecem e para as que virão. Como? Reduzindo a quantidade (e sendo honesta com a qualidade) das roupas que a gente têm pra ficar em casa, pra ir à praia e pra quem não sai muito, até roupa de balada. Não precisa parar de comprar, gente! É pensar o que vale mais a pena, o que a gente usa mais, e o que vai dar maior retorno. O tal do custo benefício. E vice-e-versa!

04) Poucas e boas

Quantidade e qualidade andam lado a lado dentro do nosso armário. Com tanta Renner e C&A, o fast-fashion subindo por nossas cabeças é difícil pensar assim, mas olha, roupinhas mais duráveis ajudam e muito a nos manter sempre em elegância e evitam aquela super sacolada de roupas velhas e pode ser bem mais econômico, é só saber comprar!

o5) Os nossos clássicos

Pra todo o mundo, o blazerzinho de alfaiataria é clássico. E é verdade, não discordo! Mas se você trabalha num ambiente mega informal, pra quê fazer do blazerzinho um clássico seu? Elejam os seus clássicos: se sua vida gira em torno de uma calça jeans, invista em calças jeans. Compre  e mantenha coisas pra coordenar lindamente com elas!

06) Nada de armário boring

A gente ama e preserva as nossas peças clássicas como dito anteriormente. Mas a cada estação, tendência vem e vai e a gente quer ter uma coisa ou outra bem bafo! E a gente pode! Aprendi lá no blog da Oficina que são essas as peças ótimas pra comprar em liquidação, daí se usar pouquinho, dá menos dor na consciência na hora de descartar. Ou às vezes, nosso guarda-roupas e a nossa vida está tão em ordem que a gente consegue coordenar essa peça bafo pra sempre e com várias coisas que a gente têm, lindo né? Porque aí o look vai estar sempre atualizado.

07) Vintage x Velho

50% do meu guarda-roupas é construído por peças vintage. Sérião, gente! Sejam achados em brechós, constantes assaltos ao armário da mãe, do pai e das amigas e até mesmo abordagens de pessoas aleatórias pedindo de “presente” (já fiz isso com um japonês vendedor de doce). Peças vintage geram uma economia pra gente e dão aquele ar de exclusividade! Saber diferenciar o vintage do velho é importante pra gente saber o que pode ser jogado fora e o que pode ser separado para possíveis repescagens no futuro. O vintage passa uma informação de moda e um quê de féxon ao look. Quando a gente já sabe bem quando deve subir algumas peças de roupas e deixa-las lá no maleiro só pra não ocupar espaço, rolam sempre alguns resgates. As peças que nas últimas limpezas não serviam mais, agora podem representar algo pra nós, e assim sucessivamente. Excelente exercício pra saber a hora certa de vender/trocar!

08) A gente cresce e amadurece

Mas o que a gente mais gosta, nunca muda! Amadurece com a gente! Então se você era gótica e hoje é moderninha, porém ama as suas roupas daquela época, poxa, que tal coordenar coturnos com os vestidinhos de agora? É super válido!

09) O que é inútil

  • Roupa manchada, rasgada e com bolinhas que não saem mais
  • Roupa que não serve (nunca funcionam na promessa de nos fazer emagrecer)
  • Roupa que não cai bem, que foi comprada por impulso ou que não acompanham a nossa atual realidade

Isso é super sério e deve ser cortado sem misericórdia! A gente só deixa pra trás aquilo que não nos acrescenta nada de bom, e quando é bom, a gente nem precisa pensar muito, né?

*Conhecendo bem o nosso estilo de vida, fica fácil fácil partir pra parte teórica da coisa. Só abrindo espaço mental e sentimental dentro do armário é possível abrir espaço físico.

Anúncios

2 Respostas to “Faxina no Guarda-Roupas e na Vida! (Pt. 1)”

  1. Jr_ Mendes 07/02/2011 às 16:40 #

    ahaso, me fez até pensar em outras peças para o nosso dia do desapego!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Tweets that mention Faxina no Guarda-Roupas e na Vida! (Pt. 1) « -- Topsy.com - 07/02/2011

    […] This post was mentioned on Twitter by Ellen Martins, opeixefresco. opeixefresco said: cheio de dicas valiosas, e ainda é só a primeira parte! https://opeixefresco.wordpress.com/2011/02/07/faxina-no-guarda-roupas-e-na-vida-pt-1/ […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: